The Shadow Hunter

The Shadow Hunter
Keep it Simple

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Paladinos, Anjos e Pacificadores.

Ser o paladino é tentar agir sem interferir, decidir tentando eliminar a influência das emoções, tentar fazer diferença sem ser percebido...

Ser Anjo é desejar sentir as dores, prazeres e paixões humanas, mas apenas poder observar e deduzir como deve ser.

Ser Pacificador é se esforçar cada dia para ser o mais corajoso, nobre e justo que puder. É lutar contr as paixões e desejos que lhe aflingem e nem sempre conseguir vencer.

Os pacificadores querem ser como o paladino.
Os paladinos, como os anjos.
Os anjos, como os Pacificadores.

Mitos reais e insondáveis.

O esforço de tentar ser Paladino é o que identifica o Pacificador.
O esforço de tentar ser Anjo é o que identifica o Paladino.
O esforço de tentar ser pacificador é o que identifica o Anjo.


Anjos, Paladinos e Pacificadores.

Anjos
Etéreos, mágicos e insondáveis.
Eles falam mas sem chegar a dizer,
agem, mas sem se deixar perceber
Influem mas sem conseguir intervir.

Estão sempre na fronteira, do ir, do vir e do existir.
Desejam ardentemente sentir as paixões humanas
Pois tanto a paz, quanto a guerra só existem dentro delas.

Admiram os Pacificadores. Queriam compreender a experiência dos sentidos e assim poder identificar aquilo que de fato impede a paz de advir espontaneamente.

Paladinos
Guerreiros, nobres e heróicos.
Sua presença é percebida antes mesmo que cheguem.
Sua fé inspira até quem os vê pela primeira vez.
Instervêm até quando só em lembrança, mesmo sem querer.

Desejam ardentemente abster-se de si mesmos,
Pois invejam os anjos e tentam ser como eles.

Pacificadores
Reais, belos e mortais.
Eles são a essência pura da humanidade.
Desejam ser heróicos como o Paladino,
ter uma disciplina serena, infalível.

São agraciados do Prazer e vítimas da dor.
Em tentar ser justos, nobres e corajosos,
em errar e acertar essa proeza dia a dia
Pacificam concretamente o que anjos tanto desejam.

O esforço de tentar ser Paladino é o que identifica o Pacificador.
O esforço de tentar ser Anjo é o que identifica o Paladino.
O esforço de tentar ser pacificador é o que identifica o Anjo.

2 comentários:

Danielle disse...

Essa postagem me fez refletir sobre com que mais me pareço, paladino, anjo ou pacificador, e cheguei a seguinte conclusão:
Paladino não pode ser, pois sempre acabo interferindo, ajo sempre com a emoção e dessa forma fica difícil não ser percebida...
Anjo, pareço menos ainda! Porque (graças a Deus) sinto e vivo as dores, prazeres e paixões humanas, mesmo quando não as identifico direito, as sinto! E gosto disso, afinal estou viva!
Chegando assim à conclusão de que me pareço mais com o pacificador, pois tento me esforçar cada dia para ser o mais corajosa, nobre e justa. Lutando conta as paixões e desejos que me afligem, nem sempre conseguindo vencê-los.
Agora fico me perguntando, como que pode ser anjo quem tenta ser pacificador? Se os são tão puros e livres de sentimentos e desejos?
Quem sabe depois você pode me ajudar a entender essa parte do seu texto, nessa hora a leitura me deixou confusa...rsrsrs
Parabéns por ter escrito um texto tão instigante, me fez realmente refletir!
Beijos Dani.

Blog de Carlos Reis disse...

O que faz de um Anjo o que ele é é sua incapacidade de sentir as paixões humanas. Em outras palavras, ele é incapaz de viver a experência de ser humano. É exatamente isso que ele deseja. Se ele for pensado por sua razão de ser, ele precisaria experimentar a condição de humanidade para conseguir compreender o que se passa com uma pessoa - um humano. Com limitação neste ponto, ele é obrigado a apenas interpretar, partindo de sua visão de mundo e natureza perfeita, o comportamento dos mortais. A razão de ser do Anjo seria pacificar, mas quem tem o poder de pacificar é justamente quem precisa ser pacificado. Os Anjos neste texto, não deixam de interferir nas decisões humanas por vontade própria, eles simplesmente não conseguem fazê-lo.